O mercado da tradução está associado a uma série de mitos e preconceitos que não raras vezes dificultam a obtenção dos resultados desejados, tanto para o cliente como para o tradutor ou a empresa de tradução. Vejamos de seguida alguns mais comuns; no final, verá que traduzir um texto não é tão fácil quanto parece e que o melhor mesmo é confiar o seu projeto a profissionais especializados, que garantem uma tradução de qualidade.

 

1. “As traduções ficam muito caras!”

Há vários fatores que poderão ter efeito num orçamento: o volume de palavras, a formatação do texto, o grau de especificidade técnica, a qualidade da redação original, o formato do ficheiro, o prazo, os idiomas em questão, entre outros. Devido a todas estas variáveis, a obtenção de um orçamento preciso e, consequentemente, a alocação de recursos necessária e adequada para alcançar um produto final de qualidade dependerá objetivamente da disponibilização do material original e do maior número de referências possível.
Procurar um serviço de tradução profissional pode parecer demasiado dispendioso, mas estes profissionais trabalham de acordo com as normas vigentes para a prestação de serviços linguísticos e utilizam os métodos e as ferramentas eletrónicas mais recentes para alcançarem o melhor resultado possível. A formação, a experiência, a atualização de material tecnológico e, por vezes, a dificuldade em encontrar um determinado tradutor (imagine quantos tradutores nativos de sueco têm conhecimentos sobre a língua portuguesa e a indústria têxtil) são condições para a oscilação dos preços. Ainda assim, é importante notar que, à medida que adjudica novos projetos, existe a possibilidade de obter preços mais competitivos. Portanto, com o prolongamento da relação comercial, tal como em qualquer atividade, poderá criar condições para a negociação de tarifas e, quanto maior for o seu compromisso no auxílio da tarefa do tradutor, disponibilizando-lhe as informações necessárias afetas à sua empresa, maior será a probabilidade de conseguir algum tipo de desconto.
Vejamos abaixo dois cenários distintos num pedido de orçamento:

Cenário a evitar:
– Tenho um documento para traduzir com cerca de 1500 palavras de inglês para português e espanhol. Por quanto fica e quando podem entregar?

Cenário ideal:
– Envio em anexo o documento para tradução para vossa análise. A tradução deverá ser feita de inglês para português e para espanhol (mercado ibérico). Atuamos no ramo automóvel e este documento está relacionado com uma promoção para a troca de pneus, a decorrer no terceiro trimestre. O público-alvo serão os nossos clientes atuais e pretendemos apelar à visita de novos clientes. O prazo preferencial para entrega é até ao final do dia X. Caso necessitem de obter informações adicionais, poderão contactar-nos através do número 9XX XXX XXX, sendo o ponto de contacto a pessoa Y. Incluímos ainda o documento da última campanha realizada para vossa referência.

Quanto mais pormenorizado for na explicação do seu projeto, melhor será a qualidade do texto final que receberá.

 

2. “Comunicação? Marketing? Só é preciso saber traduzir.”

Mais do que uma substituição de palavras, uma tradução de qualidade é um método de transposição de ideias entre diferentes idiomas e culturas. É um serviço técnico que requer mais do que conhecimentos linguísticos, conjugando a comunicação e o marketing com a experiência em mercados-alvo. Acha que não? Então vejamos os seguintes cenários:

• Criou um novo produto/serviço, investiu largamente na sua investigação, conceção, execução e apresentação ao mercado e agora pretende internacionalizá-lo. Depois de todo o investimento, decidiu que era na tradução que iria poupar. Ora, nada contra o conceito de “poupar”, somos totalmente a favor! Contudo, imagine o sucesso que o seu produto teve dentro de portas. Seria possível obtê-lo sem ter investido nos recursos adequados para a sua divulgação? Como pensa que o seu produto/serviço será acolhido nos mercados exteriores onde o pretende internacionalizar? Estudou o seu cliente internacional? Aqui entre nós, que tipo de confiança lhe suscita esta tradução e a respetiva empresa responsável?

imagem_blogue

Ficou convencido a iniciar uma relação comercial com a empresa responsável por este produto? Claro que não! Infelizmente, o desinvestimento na tradução, a procura por um tradutor automático ou por um “conhecido que até compreende a língua” é um grande passo para que esta seja a sua imagem e a sua posição no mercado onde pretende competir. Embora este seja um caso extremo de uma tradução automática, somos confrontados, inúmeras vezes, com traduções cujas frases estão bem construídas gramaticalmente, mas que contêm erros cruciais na utilização dos termos certos, ou até com erros culturais que podem colocar uma empresa na “lista negra” de um potencial consumidor.

Vejamos outro cenário:

• O seu hostel tem uma página Web muito bem construída e intuitiva, com uma versão portuguesa cuidada e bem redigida. Contudo, optou por usar a tradução automática de um reconhecido motor de busca para os restantes idiomas. Em sentido contrário, um dos seus concorrentes investiu na tradução de todos os conteúdos e tem uma apresentação mais profissional e cuidada. A perspetiva do cliente é esta: duas páginas, duas empresas. Uma comunica perfeitamente no seu idioma e presta-lhe todas as informações com clareza na primeira visita ao site. A outra tem uma tradução automática, não tem todas as informações claras e irá obrigar a, pelo menos, trocar alguns e-mails para colocar algumas perguntas antes de pedir a reserva, sendo que não fica claro se dominam idiomas estrangeiros sem pelo menos um certo grau de dificuldade. Diga-nos, onde ponderaria pernoitar?

A partir daqui e como afirmou há uns anos um ex-governante: “É só fazer as contas!”. Estamos ainda a falar de uma despesa ou de um investimento?

3. “O meu primo que mora em Inglaterra traduz-me isto!”

Um dos mitos associados à tradução prende-se ainda com a ideia de que qualquer falante de um idioma poderá ser tradutor. Para melhor desmistificar esta questão, imaginemos o seguinte cenário:

• O leitor é nativo de português e domina o idioma. Escreve regularmente e não tem a mínima dificuldade em fazer-se entender; portanto, lanço-lhe um desafio: escreva um artigo com três páginas sobre drenagem de águas residuais. Não se esqueça de utilizar a terminologia adequada! Naturalmente, o leitor não escreveria sobre um tema que não domina, pois reconhecerá que não tem os conhecimentos adequados para o fazer, independentemente de dominar o idioma em questão. Do mesmo modo, um tradutor profissional terá determinadas especializações e trabalhará de acordo com as mesmas. Um bom tradutor do ramo automóvel pode não ser a solução ideal para conteúdos de marketing e vice-versa. Se mesmo ao nível profissional existe a necessidade de procurar sempre determinados recursos, havendo necessidade de os profissionais investirem continuamente na sua formação e acompanharem os mercados para os quais trabalham, ainda acha que o seu amigo que esteve quatro anos em França é a solução que procura? Será que ele sabe exatamente como a indústria se refere a uma “válvula de retenção” ou a uma “fossa sética”?

 

4. “Só tenho de mandar traduzir o site em inglês porque hoje toda a gente fala inglês!”

Existem vários métodos para melhorar a qualidade da sua documentação multilingue. Contudo, cada situação requer um cuidado e uma atenção diferentes e, em última instância, é o cliente que decidirá as particularidades da comunicação que pretende realizar. Não obstante, existem soluções para o fazer de forma orientada. Contratar uma empresa de tradução especializada significa igualmente obter apoio linguístico e apoio ao nível da internacionalização. Se não está seguro sobre os detalhes a que deve dar maior relevância, contacte o seu prestador de serviços linguísticos. Explique-lhe o que pretende alcançar e peça-lhe informações sobre o tipo de conteúdos que deverá incluir na sua documentação e que cuidados em particular deverá ter: desde questões culturais, como logótipos, slogans e cores, a jogos de palavras que poderão não ser indicados para determinada região, passando ainda por questões tão simples como incluir as tarifas praticadas no país de destino, ao invés de esperar que o tradutor faça uma conversão do valor praticado no mercado nacional, o que poderá ser bastante diferente daquele que é praticado no mercado-alvo. Quanto mais preparado e detalhado estiver o projeto, maior é a probabilidade de receber um documento final pronto para publicação ou impressão. Estará ao mesmo tempo a envolver o seu parceiro de tradução na planificação, o que o colocará mais centrado no projeto, auxiliando-o a produzir uma tradução mais próxima daquilo que pretende. Eis uma pequena lista de alguns pontos que poderá preparar previamente:

Pretende traduzir documentação para espanhol? Qual é o país/região de destino? Esta informação ajudará a encontrar o tradutor mais adequado. Não se esqueça de que o idioma é falado em diferentes continentes e os séculos já trataram de criar algumas diferenças.

Criou uma newsletter que será traduzida para mercados externos? Forneça o documento final original. Por vezes, a forma como o texto está disposto altera a forma como o interpretamos. Poderá ajudar o tradutor a compreender a mensagem corretamente e, inclusivamente, o tradutor poderá detetar algum sinal, cor ou disposição que poderá criar potenciais situações de desconforto no país de destino.

Desenvolveu um software que pretende comercializar além-fronteiras? Lembre-se de que alguns idiomas são tão diferentes entre si que uma frase em inglês poderá ter o dobro do comprimento em português. Informe-se junto do seu prestador de serviços linguísticos sobre estas particularidades e prepare-se adequadamente para que não seja obrigado a cortar informação de uma versão traduzida devido a problemas de formatação. Seja num website ou numa aplicação, por vezes existe um limite de caracteres para os conteúdos a inserir. É importante no momento da programação saber para que idiomas o produto deverá ser preparado e quais as especificidades com que terá de contar.

É programador de software, apps, API? Não cole o texto das strings numa folha do Excel e envie para tradução. O tradutor não só não conhece o seu produto como também não irá inferir o contexto das strings. Se o que o preocupa é a eventualidade de o tradutor alterar a sua programação, esta é mais uma razão para contratar uma empresa de tradução de confiança. Existem vários profissionais que traduzem diariamente diferentes conteúdos de software e que estão perfeitamente habilitados a reconhecer quais os conteúdos a traduzir e quais os conteúdos a manter conforme se encontram. Na verdade, as strings podem até ser uma valiosa ajuda na interpretação de frases ambíguas que podem remeter para um botão ou para uma simples descrição de um menu. Se possível, inclua capturas de ecrã e descrições das funcionalidades. Pode parecer um processo moroso, mas é uma garantia de que o tradutor irá interpretar corretamente o seu produto. Existem ainda outras possibilidades de tradução com recurso a software de localização; por isso, procure ajuda especializada. É cada vez mais fácil ter uma tradução de qualidade.

O seu documento tem diversas siglas e acrónimos que poderão ser desconhecidos para o tradutor? Inclua a designação de cada um destes elementos. Ajudará o tradutor a encontrar o melhor equivalente e a sua produção será, naturalmente, mais célere.

Tem preferência pela utilização de determinados termos em detrimento de outros? Indique-o à empresa de tradução com que trabalha. Esta poderá criar um glossário que será incluído nas suas traduções e assim terá a certeza de que a sua mensagem é sempre consistente. Não basta informar o tradutor no final de um projeto que afinal a sua empresa tem preferência pelo “limpa-vidros” ao invés de “limpa-para-brisas”. Este tipo de correções no final do projeto poderá criar impasses, uma vez que nenhuma das opções se apresenta como um erro de tradução, mas antes como uma preferência terminológica pela qual o tradutor poderá não se sentir propenso a responsabilizar pelo facto de não ter sido informado. Outra forma de obter tais resultados é, conforme anteriormente indicado, fornecer material de referência que já inclua alguma terminologia preferencial. Deste modo, o tradutor saberá quais os termos a selecionar quando as opções forem variadas.

Acredito que, por esta altura, já se arrependeu daquele projeto que não confiou a tradutores nativos especializados, com conhecimentos culturais e técnicos preciosos que poderiam ter contribuído com a sua experiência para o desenvolvimento do seu negócio e ajudá-lo a passar uma imagem profissional, cuidada e de confiança.

Na SMARTIDIOM, contamos com uma base de dados de tradutores nativos e experientes, versados nos mais diversos idiomas e nas áreas de especialização mais técnicas. Lembre-se: ainda vai a tempo de salvar o seu próximo projeto! Contacte-nos e saiba mais sobre as nossas soluções.